Segundo estudo, Turismo de vida selvagem pode impulsionar economias e reduzir pobreza


leão grande.jpg

O FESTURIS Gramado – Feira Internacional de Turismo recebe anualmente expositores e visitantes do trade interessados em conhecer e fomentar o turismo de natureza, países da África e Ásia são os principais cases de sucesso no segmento e sempre estão representados no FESTURIS.

 Segundo um estudo recente do Banco Mundial o Turismo de Natureza está em alta e pode ajudar a fornecer soluções para desafios como perda de habitat, caça ilegal e até falta de financiamento para proteção destes locais. Isso é o que indica uma publicação que destacou programas bem-sucedidos de turismo de vida selvagem em sete países da África e da Ásia.

A publicação “Apoiando os meios de subsistência sustentáveis através do turismo de vida selvagem”, do Banco Mundial, mostra que iniciativas podem ser usadas, segundo o organismo internacional, como modelos para promover a conservação e estimular economias.

O Banco Mundial destaca que “o segmento do turismo é uma ferramenta poderosa que os países podem aproveitar para expandir e diversificar suas economias, protegendo sua biodiversidade e cumprindo diversos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”.

Também é uma forma de envolver os turistas na conservação da vida selvagem e injetar dinheiro nas comunidades locais que vivem mais próximas da vida selvagem. As histórias de sucesso e as lições aprendidas com o turismo baseado na natureza.

Em 2016, as viagens e o turismo contribuíram com 7,6 trilhões de dólares, ou 10,2%, do PIB global, e a indústria forneceu empregos para uma em cada 10 pessoas, de acordo com o Conselho Mundial de Viagens e Turismo.


Por
14/03/18




Realização